25 de fev de 2011

A PRESIDENTA, A PRESIDENTE...

por Luiz Rogério de Carvalho

Sabe-se que, pela ótica do vernáculo e, de acordo com os luminares da língua portuguesa, qualquer um dos tratamentos está correto.

Entretanto, está sedimentado nos usos e costumes brasileiros, especialmente na imprensa nacional, a expressão “a presidente”, que soa de modo muito mais agradável aos ouvidos da esmagadora maioria brasileira, fato que só é ignorado pelos membros do executivo federal, e partidários do governo que, insistem, remando contra a corrente, contrariando a voz do povo, em mudar o vetusto tratamento.

Pelo que se tem visto, o tratamento “a presidenta” somente será usado pelos membros do governo federal, e outros subalternos, que, em seus pronunciamentos, parece que cumprindo ordens superiores, teimam em mudar o tratamento habitual. E o programa “A Voz do Brasil” tem sido o veículo pelo qual insistem em consolidar essa inovadora bobagem.

7 de fev de 2011

EDUCAÇÃO

Por Luiz Rogério de Carvalho

Conceituado jornal publica matéria divulgando pesquisa do MEC, mostrando que, de 2005 a 2009, caiu em 50% o número de profissionais saídos das faculdades formadoras de professores, nas áreas do ensino fundamental e médio.

É fácil entender o desinteresse pela carreira do magistério, pois ainda não temos uma política de educação que estimule os jovens, seja pela existência de salário atraente, e de uma carreira promissora, com boas condições de trabalho. Por isso, enquanto não houver uma cruzada nacional, que vise à valorização do professor, o problema da educação continuará sem solução, e com o agravante de termos aumentado o número de professores sem qualificação, e nenhuma formação pedagógica.

É lamentável, pois bastaria seguir o exemplo de países asiáticos que, conscientes de que o verdadeiro progresso só se adquire através da educação, investiram no que é básico para a formação de uma juventude qualificada e capacitada, cujo resultado é o invejável crescimento econômico.