3 de mai de 2010

"UMA FACULDADE PARA BLUMENAU"



por Luiz Rogério de Carvalho


Convicto de que o verdadeiro progresso só se consegue através do conhecimento, acompanhando outros blumenauenses que lutavam pela criação de uma Faculdade em sua cidade, participei do movimento “Blumenau Precisa de Uma Faculdade” iniciado em 1962, que, com o espaço criado pelo jornal “A Nação”, órgão dos Diários Associados, e dirigido em Santa Catarina pelo jornalista Maurício Xavier, passou a defender a ideia, publicando, em todas as edições, em destaque, a frase “BLUMENAU PRECISA DE UMA FACULDADE”.

O movimento ganhou corpo, reunindo as classes representativas da cidade e, em todas as ocasiões, especialmente em encontros com representantes das várias correntes da sociedade, a ideia era defendida, e atuação dos políticos era cobrada.

Engajado na campanha, em 23 de Julho de 1963, com o entusiasmo da juventude, escrevi o artigo “UMA FACULDADE PARA BLUMENAU”, publicado no Jornal “A Nação”, na edição nº 327, de 24/07/1963, que abaixo transcrevo:

“Numa iniciativa digna de louvores, foi criado nesse jornal uma Coluna de Debates destinada a tratar, com a participação de leitores, de assuntos de interesse da coletividade, assunto de qualquer natureza, desde que abordado dentro de um princípio elevado, obedecendo à ética jornalística e trazendo um conteúdo que realmente seja do interesse da população blumenauense. Como o assunto que está em foco trata de uma das necessidades de nossa terra (digo nossa, porque Blumenau é realmente uma cidade acolhedora, e todos aqueles que aqui chegam, dentro de pouco tempo sentem-se à vontade para assim se expressar), necessário se faz conjugarmos esforços e, desta “Coluna de Debates” não silenciarmos enquanto não for atingido nosso objetivo: UMA FACULDADE, para os jovens, principalmente aqueles que, embora desejosos de aumentar seu conhecimento, sendo inteligentes e dispondo de todos os requisitos necessários para se tornarem homens úteis ao seu Município e ao Brasil, não o fazem por falta de condições financeiras que lhes permitam arcar com enormes despesas em outras partes do país. Quem não sabe das dificuldades que um jovem encontra para cursar uma Escola Superior? Quem desconhece as dificuldades de empregos que há nas cidades universitárias mais próximas? Com uma Faculdade em Blumenau tudo seria mais fácil. Não haverá necessidade de deixar um emprego garantido, para aventurar um segundo em outro lugar.

É, pois, necessário que aproveitemos todas as oportunidades para exigir de nossos Representantes na Câmara de Vereadores, na Assembleia Legislativa e mesmo na Câmara de Deputados Federais, uma vez que lá também há um blumenauense, para que façam valer os seus mandatos, lutem em prol desta causa simpática, e façam alguma coisa para que Blumenau tenha a sua Faculdade. Não importa que seja de Filosofia, de Direito ou de Ciências Econômicas. O que realmente interessa é que seja criada uma Faculdade. Funcionando a primeira, as outras virão depois. Particularmente, optamos pela criação da Faculdade de Ciências Econômicas, uma vez que esta será mais fácil de fazer funcionar, pois os professores poderão ser encontrados aqui em Blumenau. Alguns já se prontificaram a dar aulas gratuitamente. Mas o importante, insisto em frisar, é que uma Faculdade seja instalada. Qualquer uma trará benefícios a Blumenau e sua gente.

A propósito desse assunto, correm rumores na cidade que o “líder” do movimento, vereador Dr. Bernardo Wolfgang Werner, está empenhado em fazer funcionar ainda este ano uma Faculdade em Blumenau. Se isso se confirmar, o que desejamos, desde já hipotecamos-lhe solidariedade. Blumenau, 23 de julho de 1963.”

1981, decorridos 18 anos, eis que recebo meu diploma de Bacharel em Direito na Faculdade de Ciências Jurídicas de Blumenau - FURB, hoje Fundação Universidade Regional de Blumenau, aquela cuja semente que, modestamente ajudei a plantar, encontrando solo fértil germinou e frutificou, tornando-se uma das mais importantes instituições de ensino superior do país.

2010, jubilado na OAB/SC, e tendo exercido por cerca de 30 anos o ofício de advogado, relembro, com saudade e orgulho, do empenho de tantos abnegados companheiros, que dedicaram seu tempo na busca e conquista de um ideal que, modestamente, tive a honra de participar.


Nenhum comentário: