13 de ago de 2009

PALAVRA CONTRA PALAVRA?



por Luiz Rogério de Carvalho


É mais que óbvio que a ministra Dilma vai continuar negando o encontro no Planalto com a ex-secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, demitida pelo ministro Guido Mantega, porque multou a Petrobrás, por causa de uma manobra contábil indevida, para pagar menos impostos e contribuições.

Embora possa ser verdade que o encontro existiu, e que a ministra teria pedido aceleração nas investigações que a Receita Federal vinha fazendo em negócios da família Sarney, um “jeitinho” na solução do caso Sarney, a ministra-chefe da casa civil, que já disse em seu curriculum que tinha doutorado, quando não era verdade, também pode estar negando o encontro por pura conveniência política. “Cesteiro que faz um cesto faz um cento”.

O fato da secretaria-executiva, Erenice Guerra, negar ter estado no gabinete da ex-secretária da Receita Federal, Lina Maria Vieira, também não é relevante, pois a regra é o subordinado ficar sempre ao lado do chefe, por motivos óbvios.

Sendo a ministra-chefe da casa civil a candidata do presidente Lula, era de se esperar que ele saísse em sua defesa. E foi o que aconteceu, quando, lá do exterior, apressou-se em dizer que não acreditava que sua candidata estivesse interferindo em favor de Sarney. Que era “ledo engano” de quem assim estava pensando.

A imediata e apaixonada manifestação do presidente é compreensível, pois a comprovação da intervenção da ministra, em defesa de Sarney, poderia produzir grande perda para sua candidata, cuja imagem já vem sofrendo acentuado desgaste.

Além de tudo, é do maior interesse, tanto de Lula quanto de Dilma, que Sarney, mesmo com todos os fatos escabrosos de que vem sendo acusado, permaneça na presidência do Senado, pois seu afastamento implicaria na condução para a presidência da casa, do senador Marconi Perilo, um adversário, possibilidade esta que, só de pensar deve causar arrepios em Lula e em Dilma.

5 comentários:

CESAR CRUZ disse...

Sabe, tio Ruja... Ando tão desanimado em ver que, por mais que os anos escorram, nada disso muda. Ano que vem faço 40. Vivo num país de impunidade desde que nasci. Perdi meu pai, minha mãe, estudei, casei, fiquei careca, cabelos grisalhos, tive uma filha... e nada. Nada mudou. E nada parece que irá mudar.

Pior é ver, como ocorreu nos últimos anos, gente que acreditávamos que fossem os últimos guerreiros da luz, os últimos honestos em meio à corja; ver que essa gente é igualzinha àquela escória que sempre nos assombrou.

Que o Lula era incompetente para o Planalto, todos soubemos desde sempre. Mas que ele fosse um parceiro, um cumplice da velhacaria (e agora um defensor!), isso foi uma novidade impactante para nossos já cansados corações...

Abraços paulistas
Cesar

wallper.lima disse...

Olá! Vi que esteve em meu espaço, e se tornou meu seguidor. A única falta foi por não deixar um comentário, pois só assim ´poderia saber sua opinião, mas agradeço...
Sobre sua postagem, realmente é a realidade que vem assombrando nosso´país à cada dia...e devo dizer que concordo inteiramente com o Cezar Cruz, que falou mto bem.

PS.: Só não podemos perder a esperança!
Abraços.
Waleria Lima.

Armando Maynard disse...

E a pensar que o PT era diferente. Que marcaria sua administração com práticas políticas calcadas na firmeza, verdade, seriedade e honestidade. Que péssimos exemplos as novas gerações. Parece que o poder e o desejo de permacer no mesmo, fez com que esquecessem o que defendiam, pregavam e praticavam, quando eram sindicalistas e oposição. Quando defendiam as bandeiras da justiça social e da redemocratização do país, nos enchendo de patriotismo e esperanças,de que chegando ao poder,seriam um partido diferente dos demais. Hoje, para tristeza de muitos, presenciamos o Lula com as mesmas práticas e vícios, além de conciliações vergonhosas em nome de uma "tal governabilidade", ignorando a força e o poder do povo que o elegeu e que repudiam estes seus "novos amigos". Que decepção. Um abraço, Armando.

Daniel Cristal disse...

Obrigado pelo seu aceno no meu blogue.
O Brasil é para mim a Nação que amo muito e pelo que se poderá entender por esta expressão, gosto de ouvir dele as melhores referências. E aposto muito no seu futuro e nas gentes que o vão construir.
De facto, a nossa Língua conta muito com a sua imensidão e progresso, por isso bendigo todos os que se preocupam com o seu desenvolvimento. Estou convencido que há-de ser uma das primeiras potências mundiais, impondo-se por uma maneira nova de estar e relacionar-se, neste presente mundo quezilento e violento (e caduco).
Mando-lhe um grande abraço,
D C

JAMES PIZARRO disse...

Obrigado pela generosidade em visitar meu blog.
Li muito teu blog e o achei de primeiríssima qualidade. Parabéns !
Tenho outros blogs :
www.professorpizarro.blogspot.com
www.antesqueanaturezamorra.blogspot.com
Abraço fraterno

James Pizarro