10 de jan de 2009

PÉSSIMO EXEMPLO

.
.
por Luiz Rogério de Carvalho

.
Flagrada pela reportagem de emissora de televisão (RBS), em Florianópolis, uma escola municipal vinha transformando as salas de aula, e demais dependência do prédio, em “colônia de férias” para turistas, pois, cobrando diária de R$ 15,00 por pessoa, alugava as instalações públicas para pessoas do interior do Estado, que vinham veranear nas praias da capital.

Pior que a atitude de privatizar o patrimônio público, alugando o imóvel, é o fato de que dirigente e professores consideram a coisa normal, num estabelecimento de ensino onde, além da educação formal, os estudantes deveriam receber também exemplos de cidadania, aprendendo a separar o que é público do que é privado.

Para agravar ainda mais a situação, consta que a Secretaria de Educação do município tinha conhecimento da irregularidade e, pecava pela omissão que, em administração pública, representa conivência.
.

Nenhum comentário: