19 de out de 2007

EMPRÉSTIMO CONSIGNADO



por Luiz Rogério de Carvalho

O Governo, após constatação, em auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União, acaba de proibir, pelo prazo de 90 dias, a concessão de empréstimos consignados - aquele com desconto direto em folha de pagamento - a funcionários públicos federais, pois existe a suspeita de que graves irregularidades estão ocorrendo, especialmente, o desconto superior a 30% do salário do aposentado.

Oxalá, essa proibição temporária seja transformada em definitiva, estendendo-se aos funcionários públicos estaduais e municipais, pois esse tipo de empréstimo consignado tem sido motivo da desgraça de grande número de aposentados que, pressionados pelas dificuldades, ingenuamente, assumem compromissos acima de suas possibilidades, cujos descontos em folha de pagamento representam significativo desfalque no orçamento, já apertado.

É comum ouvir que aposentados, sensibilizados com as dificuldades dos filhos, netos ou amigos, fizeram empréstimos em seus nomes, e que tiveram de pagar, pois o repasse prometido não foi cumprido.

Para as instituições financeiras, cuja voracidade não tem limite, essa modalidade de empréstimo, sem nenhum risco, representa um excelente negócio, que tem contribuído, de forma substancial, para engordar ainda mais os seus lucros.

Para os Bancos e Financeiras, o empréstimo consignado, por ser seguro e gerar um enorme volume de negócios, é tão importante que, nas esquinas das principais cidades brasileiras, já é comum ver pessoas entregando folhetos convidando os aposentados a contrair o famigerado empréstimo.

Em uma das mãos, está a oferta do DVD pirata, na outra, a propaganda do empréstimo consignado.

4 comentários:

Joel disse...

Disseste tudo a este respeito. Perfeito!!!

Anônimo disse...

Prezado Tio Ruja,
Entendo o empréstimo, consignado ou não, como um produto bancário como qualquer outro.
Porém considero que o grande vilão da história é o Sr. Presidente Lula a quem falta culhão para organizar a atividade. O que ele poderia fazer?
1.º Reduzir a cupinchada do PT que está pendurada no governo federal.
2.º cortar o cartão de crédito livre da cupinchada.
3.º Gastar bem o que é arrecadado.
4.º Tomar menos dinheiro emprestado dos bancos e reduzir a taxa Selic.
5.º Retirar o IOF dos empréstimos (esse imposto é ridículo. O cidadão está sem dinheiro e ainda tem de pagar um imposto enorme).
6.º Esclarecer o povo dos direitos do consumidor com relação aos empréstimos, fazer cumprir esses direitos, e exigir que a taxa efetiva seja destacada em letras grandes na capa de cada contrato.

Só isso já mudaria totalmente o panorama que apresentaste muito bem no seu Post.

Um abraço,
Marcos Paim
www.economizandodinheiro.com.br

Anônimo disse...

Luiz,

Em muitos casos, o empréstimo consignado representa uma forma muito mais humana de crédito principalmente se compararmos a outras modalidades que o aposentado estava acostumado (especial, agiotagem entre outros...).

É importante prestar bastante atenção na instituição e suas taxas. Também, vale a pena um planejamento orçamentário adequado por parte do tomador para que o ciclo de endividamento não se reinicie.

Se feito com consciência e atenção, acreditamos que o consignado seja a melhor opção de crédito.

Abraços e parabéns pelo blog,

Equipe HR Mercantil
www.blogdoconsignado.com.br

milton da costa disse...

quero dizer que é muito bom termos esse tipo de blog para darmos nossa opiniao sobre assuntos que sao deveras importantes para muita gente. tenho uma duvida sobre os bancos fazerem empréstimo consignado para idoso com mais de 70 anos. nao encontrei nenhuma restriçao nas mais diversas portarias emitidas pelo inss sobre essa operaçao. se alguem que ler esse comentario puder me ajudar ficarei muito grato pois acho um tema para ser discutido. digamos que um aposentado com mais de 80 anos vai ao banco fazer um empréstimo para quitar em 60 meses. o banco faz essa operaçao sem colocar nenhuma restriçao devido a idade do aposentado? abraço a todos