12 de out de 2007

JORNAL A NOTÍCIA



por Luiz Rogério de Carvalho

Na democracia, pressupõe-se, além da plena liberdade de pensamento e expressão, também a possibilidade de externar o pensamento das diferentes correntes de opinião, através dos meios de comunicação, sem que haja cerceamento ou patrulhamento ideológico.

Nesse contexto, a diversidade dos meios de comunicação é fator importante para a divulgação das idéias, sejam elas de esquerda ou de direita.

Assim, por mais que se queira defender o direito de grupos econômicos, de se expandir no ramo das comunicações, adquirindo empresas de televisão ou jornais regionais, quando essa expansão se apresenta de forma a permitir que determinado grupo detenha, na prática, o quase monopólio da comunicação, especialmente da imprensa escrita, onde os jornais, inegavelmente, representam relevante papel na formação da opinião, então, pode-se dizer que alguma coisa está errada.

A liberdade de expressão, embora existente, nem sempre é acompanhada pela possibilidade de acesso aos meios de divulgação, quando estes são oligopólios.

É inegável que os meios de comunicação, especialmente a imprensa escrita, através dos jornais, são fortes formadores de opinião na região em que atuam.

Assim sendo, quanto maior o número de jornais existentes em determinada região, maior é a possibilidade de criação e divulgação de idéias.

Por entender a imprensa, especialmente o jornal, com essa dimensão na construção e defesa de uma democracia sólida, foi que tomei conhecimento, com tristeza e preocupação, da transferência do jornal A Notícia, veículo de comunicação regional que, durante mais de 80 anos, serviu ao Estado, especialmente à região norte de Santa Catarina, com independência e eficiência, para um poderoso grupo de comunicação que, com muita competência, vem tornando-se hegemônico no sul do país.

Nenhum comentário: